Postagens

Mostrando postagens de Maio 12, 2013

CONVITE

Imagem
Estamos sorteando 3 convites para o Seminário da Revista 
Mente & Cérebro - "Anatomia do Sono" .Para participar, escreva um e-mail com seu nome, telefone e endereço completo, para o nosso endereço eletrônico:
malholthausen@hotmail.com. 
Lembramos que o Seminário no Rio de Janeiro é no dia 18 de Maio, e o de São Paulo é no dia 25 de maio de 2013.AbraçosMaria Holthausen

AMOR, SIGNIFICANTE E GOZO

O Amor e o Super-Eu na Contemporaneidade

O que é o amor para o super-eu na lógica da vida amorosa dos dias atuais?
Partamos da afirmação de J.-A. Miller no texto, Extimidade (1) – “...há uma solidariedade entre o amor e o gozo”.
Ao dizer que “...só o amor consente ao gozo condescender ao desejo”(2), Lacan nos permite deduzir que a relação entre amor e gozo não deve ser pensada exclusivamente como uma relação de oposição, mas que existem pontos de aproximação entre o amor e o gozo que devemos observar, uma vez que, na experiência analítica ambos se expressam como uma demanda e no nível da contingência.
Sabemos com Lacan que nenhum dizer escapa à parcialidade da pulsão sexual. A linguagem despedaça as pulsões tornando-as sempre parciais. O objeto da pulsão é assexuado, o que quer dizer que a sexualidade do falasser não está ligada à diferença anatômica dos sexos sobre a qual o inconsciente nada sabe, o inconsciente é mudo.
Enquanto as pulsões parciais ignoram a diferença dos sexos, no inco…

Ruínas Estéticas

Hegel afirma, em suasLições sobre a filosofia da história, queos persas foram o primeiro povoa entrar na história “porque a Pérsia é o primeiro império que desapareceu” deixando atrás de si a mobilidade e a inquietude do que só pode se exprimircomo ruínas.
Tais colocações são interessantes por nos lembrarem o que exatamente são ruínas. Elas não são simplesmente os restos do que um dia esteve presente no passado. Elas são as provas de que o passado sempre esteve animado por uma estranha instabilidade, inquietude que faz com que nada subsista completamente.
De uma certa forma, se a Pérsia é o primeiro povo histórico que desapareceu é porque o que eles construíram já era, desde o início, ruínas. Seu material já era o efêmero, o transitório, o fugidio.
Esta é uma maneira interessante de introduzir a questão: por que a arte moderna é assombrada pelas ruínas? Por que ela parece sempre ter que dar conta de linguagens arruinadas e gastas? Se um dos sonhos modernistas por excelência foi, muitas v…

CONVITE

Imagem
Pessoal!

Encaminho folder de divulgação da palestra COMPETÊNCIAS PARA INOVAR E EMPREENDER, com Rogério Chér. Imperdível!!!Confirmações através do email consultoria@abrhflorianopolis.com.brou pelo telefone3288 0052.Rosangela Mambrini

CONVITE

Imagem
Queridos amigos,quero convidá-los para o próximo concerto da Camerata Florianópolis, que ocorrerá nesta sexta-feira dia 17 de maio às 21h no teatro do CIC. Na primeira parte, obras de Astor Piazzolla (Adiós Nonino, Libertango, As Quatro Estações Portenhas), e na segunda parte a estréia de uma composição minha, as Quatro Estações, para piano e orquestra de cordas (participarei ao piano como solista em ambas as partes). Será ótimo vê-los por lá!Abraços,Alberto Heller