domingo, dezembro 02, 2012

A infinidade de amores na dor de existir



O discurso psicanalítico, ao investigar os fundamentos do amor, apresenta, de forma sistematizada, o que os poetas já sabiam: o encontro da verdade com o saber não decifra toda a verdade.

O desejo de saber o que o amor é esbarra com algo indizível. Assim, o que não pode ser dito e escrito converte o amor em “um mal, que mata e não se vê”, em “um não sei quê, que nasce não sei onde, vem não sei como, e dói não sei por quê” (Camões). Amar e saber o que é amar são coisas diferentes. Amar é um acontecimento que nunca se esquece; é inventar sentidos para a existência no mundo. Saber o que é amar é impossível, porque “quem ama nunca sabe o que ama; nem sabe por que ama, nem o que é amar” (Fernando Pessoa).

Diante da impossibilidade de saber toda a verdade, fala-se de amor. Isso é o que vem sendo feito há séculos. Platão, em O Banquete, retrata os lugares do discurso: o do amante e o do amado. Jacques Lacan (1901-1981) baseia-se no amor grego para articular o par amante-amado com a estrutura do amor. Aquele que experimenta a sensação de que alguma coisa lhe falta, mesmo não sabendo o que é, ocupa o lugar de sujeito do desejo (amante); aquele que sente que tem alguma coisa, mesmo não sabendo o que é, ocupa o lugar de objeto (amado). O paradoxo do amor reside justamente no fato de que o que falta ao amante é precisamente o que o amado não tem. Se Eros nasce de uma aspiração impossível, que é de dois fazer um, o ser humano inventa o mito do amor, sustentado na promessa de felicidade. E, enquanto isso não vem, o bem se transforma em mal, inaugurando uma escola de amor infeliz.

Freud e a teoria da sexualidade humana

Em O Mal-estar na Civilização, Sigmund Freud (1856-1939) adota a versão do amor que se encontra no poema “Sobre a Natureza”, do filósofo grego Empédocles (490-430 a.C.): Eros é uma força que tende para a unificação. Em As Pulsões e Suas Vicissitudes (traduzido em português por Os Instintos e Suas Vicissitudes), Freud cria o conceito de pulsão para construir uma teoria da sexualidade humana: as pulsões são os representantes psíquicos de estímulos internos, situando-se no limite entre o psíquico e o somático, e apresentam-se divididas em pulsões sexuais e pulsões do eu (pulsões de autoconservação). 

As pulsões sexuais (oral, anal e genital), constituídas por quatro elementos (impulso, fonte, alvo e objeto), passam por quatro processos de transformação: reversão a seu oposto, retorno em direção ao próprio eu, recalque e sublimação. A reversão a seu oposto caracteriza-se pela transformação do amor em ódio. Essa metamorfose se refere a um tempo arcaico, regido pelo autoerotismo (narcisismo primário), o qual é dividido em duas fases. Na primeira fase, as pulsões do eu e as pulsões sexuais têm o mesmo alvo, porque ainda não se separaram: é a satisfação autoerótica. Sob o domínio do princípio de prazer, constitui-se um eu primitivo, interessado pelo que lhe dá prazer e desinteressado do que lhe dá desprazer. Essa indiferença, nomeada de “repúdio primordial do eu narcísico”, inaugura o ódio.

Na segunda fase, o eu da realidade, transformado em eu do prazer purificado, realiza a distinção entre o fora e o dentro pela via da fantasia: o que causava desprazer e era odiado é expulso do próprio corpo, passando a constituir, então, o campo dos objetos; o que causava prazer passa a ser amado e, como tal, incorporado ao próprio corpo (eu do prazer). É importante ressaltar que a precedência do ódio sobre o amor está diretamente ligada às suas fontes: o ódio nasce sob o domínio do princípio de prazer e o amor inaugura-se no momento em que se constitui a pulsão. Do acoplamento do amor ao ódio resulta a marca primordial do amor, a ambivalência (amor/ódio). 

Em Sobre o Narcisismo: uma Introdução, Freud aborda o amor a partir da escolha de objeto. Todo ser humano tem dois objetos sexuais: ele mesmo e aqueles que desempenham as funções de alimentação e de proteção. Em função disso, temos duas escolhas: narcísica e anaclítica. Na escolha narcísica, ama-se o que se é, o que se foi ou o que se gostaria de ser. Aqui, o objeto é amado com a mesma intensidade que outrora o eu do prazer fora amado no autoerotismo. Na escolha anaclítica, ama-se a parte do eu que foi renunciada e transferida para o objeto, fazendo com que o objeto seja revestido das funções materna e paterna: a mulher que alimenta ou o homem que protege. 

Freud retoma, em Psicologia de Grupo e Análise do Ego, a escolha do objeto amado pelos mecanismos de idealização e de identificação. A idealização caracteriza-se pelo engrandecimento do objeto e a identificação pela forma mais arcaica de laços afetivos com o objeto. Na idealização, o intenso investimento do eu no objeto implica não só o empobrecimento desse eu, mas também a sua ligação com o objeto, mesmo depois da perda ou do abandono.
A separação é vivida como dilaceração, fazendo com que o eu experimente a dolorosa sensação de que uma parte de si mesmo foi arrancada para sempre. Por sua vez, na identificação, a perda ou o abandono do objeto conduz à incorporação de suas propriedades pelo eu. Assim, na idealização, o objeto é colocado no lugar do ideal do eu, e, na identificação, o objeto é colocado no lugar do eu. Na idealização, ingressamos no reino da paixão, onde o amante, encantado pelo objeto amado, é levado à servidão sem limite. Na cegueira da paixão, o enamorado pode inclusive ser arrastado ao impulso do crime. A perda do objeto da paixão converte o amor em ódio, fazendo com que o desejo de posse se transforme em desejo de destruição.

Lacan e o amor como paixão e dom ativo

Lacan, em seu projeto de retorno à obra de Freud, faz questão de enfatizar que é preciso distinguir entre o amor como sentimento da paixão e o amor como dom ativo. O amor como paixão inscreve-se no plano das relações imaginárias, nível das relações especulares, em que as imagens do eu e do outro se confundem. O amor como dom ativo inscreve-se no plano das relações simbólicas, dimensão da palavra, cujo registro é o da verdade, da mentira, da equivocação e do erro. A paixão visa ao outro como objeto e o amor visa ao outro como sujeito. 

Na paixão, exigem-se provas de amor. Mesmo que as provas sejam dadas, nunca o apaixonado se dá por satisfeito, porque não se trata de ser amado, mas, sim, de querer ser amado do modo pelo qual se imagina que se deva ser amado. Qualquer particularidade do outro amado tem de ser apagada para que se mantenha a fantasia de que de dois se faz um. Lágrimas são derramadas pelo que deveria ter sido e não foi. O fracasso de um sonho torna-se a causa do sofrimento de amor, o qual se transforma em ódio de si mesmo e do outro. Na paixão, amar é querer enviscar-se no objeto, capturando-o; odiar é querer desvencilhar-se do objeto, aviltando-o. Lacan afirma inclusive que “o ódio não se satisfaz com o desaparecimento do adversário”.

Não basta o exílio, a prisão, o assassinato; é preciso a injúria para denegrir o ser do outro odiado. Se não se pode eliminar a existência do outro odiado na linguagem, o caminho da difamação é a via pela qual se tenta associar um nome à indignidade e à vilania. Um terceiro elemento é acrescentado ao par amor-ódio: a ignorância. O desejo de não querer saber está para a paixão assim como o desejo de querer saber está para o amor. O amor como dom ativo está para além da fascinação imaginária, porque se dirige ao ser do outro em sua particularidade. Trata-se de um amor que se inscreve no regime da diferença, onde dois não fazem um, mas dois. 

No Seminário 4: a Relação de Objeto, Lacan aborda outra modalidade do amor, aquele concebido como recusa do dom e situado em torno do que o objeto amado não tem. Três elementos entram em cena: amante, objeto amado e para além do objeto. O que se ama está para além do objeto. E o que estaria nesse além senão a própria falta? Justamente por isso, Lacan diz que o dom dado em troca não é nada: “o nada por nada é o princípio da troca”. Na dialética da recusa do dom, o sujeito sacrifica-se para além daquilo que tem. Então, amar é dar o que não se tem, e o acento está no amor, não no objeto amado. Esse acento comparece no amor cortês (o trovadorismo dos séculos 12 e 13), na concepção barroca de amor, em Fernando Pessoa etc. O que se ama é o próprio amor.

Lacan introduz, ainda, no Seminário 11, o conceito de sujeito-suposto-saber (SsS) no amor de transferência: “Desde que haja em algum lugar o sujeito-suposto-saber, há transferência”. A introdução de um sujeito-suposto-saber no amor de transferência não modifica a sua estrutura, que é a mesma da paixão. Por isso, ao amar alguém, suponho um saber; ao odiar a alguém, suponho um não saber (o saber que está em jogo é um saber sobre o desejo).

Há uma infinidade de amores. Mesmo assim, o amor não é a panaceia para a dor de existir, inclusive porque, como nos ensina um poema do século 16 atribuído a Camões (“Amor É Fogo que Arde sem Se Ver”), como se pode esperar paz, harmonia e felicidade nos corações humanos, “se tão contrário a si é o mesmo amor”? 

By: Nadiá Paulo Ferreira
Fonte: Revista Cult

74 comentários:

aopretexto disse...

Adorei o blog! Encontrei ao acaso em pesquisas escolares e já o adicionei na lista de favoritos.
Se não for incomodar, poderia dar uma olhada no meu blog e falar o que acha de meus textos?
E outra coisa... Posso usar um trecho deste texto que tu escreveu em uma postagem minha? Colocarei citações e tudo o mais, se permitir! Desde já, agradeço!
http://aopretexto.wordpress.com/

MARIA HOLTHAUSEN disse...

Esse texto que você está comentando é da Professora Nadiá. Claro que ele pode ser citado por você - texto de Nadiá Paulo Ferreira, publicado na Revista Cult - essas são as referências. Vou olhar seu blog com muito carinho. Depois comento, tá bem? Bjs. Maria

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

buy tramadol online tramadol dosage 50 mg - tramadol 700 mg

Anônimo disse...

order xanax no prescription xanax xr generic price - cheap cheap xanax

Anônimo disse...

generic xanax long does xanax overdose last - xanax effects muscle growth

Anônimo disse...

buy tramadol cod tramadol japan - buy tramadol online overnight shipping

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

buy cheap tramadol can you get tramadol online legally - tramadol dosage for people

Anônimo disse...

buy tramadol online tramadol hcl manufacturers in hyderabad - buy tramadol online pharmacy

Anônimo disse...

generic xanax beat drug test xanax - xanax high description

Anônimo disse...

xanax online 1mg xanax bluelight - buy xanax online overnight delivery

Anônimo disse...

buy tramadol online generic tramadol er - buy tramadol overnight delivery no prescription

Anônimo disse...

cheap xanax no prescription xanax generic brand name - xanax tablets 0.25 mg

Anônimo disse...

generic xanax xanax generic 0.5 - xanax side effects while pregnant

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

alprazolam no prescription 1 mg xanax equivalent valium - images generic xanax pills

Anônimo disse...

buy carisoprodol carisoprodol 350 mg overnight - the drug carisoprodol

Anônimo disse...

carisoprodol 350 mg buy carisoprodol online no prescription needed - carisoprodol 350 mg photo

Anônimo disse...

generic xanax buy xanax forum - what is the generic name of xanax

Anônimo disse...

buy carisoprodol carisoprodol class - soma carisoprodol 250

Anônimo disse...

buy tramadol online need to purchase tramadol - tramadol dosage levels

Anônimo disse...

xanax online generic xanax pill identifier - effects of alprazolam 0.5mg

Anônimo disse...

buy cialis online cheap cialis professional - generic cialis levitra

Anônimo disse...

buy tramadol online tramadol hydrochloride 50mg side effects dogs - tramadol dosage body weight

Anônimo disse...

cialis online buy cialis no prescription usa - cialis no prescription

Anônimo disse...

buy cialis online brand cialis online usa - buy cialis online from usa

Anônimo disse...

xanax online what does a generic xanax look like - withdrawal from xanax and alcohol

Anônimo disse...

buy cialis online no prescription cialis daily vs. as needed - cialis young men

Anônimo disse...

cialis price cheap cialis prices usa - cialis price new zealand

Anônimo disse...

xanax online can you buy xanax in singapore - xanax drug system

Anônimo disse...

buy cialis online order real cialis - buy liquid cialis online

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

xanax online generic xanax not good - whats street value 1mg xanax

Anônimo disse...

xanax online 2mg blue lotus xanax bars - xanax .25 mg effects

Anônimo disse...

http://landvoicelearning.com/#97734 tramadol online no prescription fedex - buy tramadol online overnight cod

Anônimo disse...

http://landvoicelearning.com/#63987 tramadol hcl 50mg narcotic - buy tramadol 50mg

Anônimo disse...

buy tramadol generic name of tramadol - buy tramadol online no prescription cod

Anônimo disse...

http://landvoicelearning.com/#23561 ultram tramadol forum - tramadol no prescription usa

Anônimo disse...

http://buytramadolonlinecool.com/#30694 tramadol for sale no prescription usa - high from tramadol

Anônimo disse...

tramadol online buy tramadol online with cod - tramadol 50mg for my dog

Anônimo disse...

tramadol overnight shipping where to buy tramadol forum - tramadol 50mg slow release

Anônimo disse...

buy tramadol what is tramadol hcl generic for - order tramadol online overnight

Anônimo disse...

buy tramadol tramadol overdose for dogs - tramadol for dogs is it safe

Anônimo disse...

tramadol 50 dangers tramadol addiction - whats better tramadol ultram

Anônimo disse...

buy tramadol online tramadol withdrawal hydrocodone - buy tramadol online no prescription mastercard

Anônimo disse...

buy tramadol tramadol hcl maximum dosage - tramadol zanaflex

Anônimo disse...

buy tramadol online tramadol for dogs effects on humans - information on tramadol 50mg tablets

Anônimo disse...

http://blog.dawn.com/dblog/buy/#34852 buy tramadol online no prescription - tramadol tooth pain

Anônimo disse...

buy tramadol buy tramadol without rx - street value of tramadol 50mg

Anônimo disse...

buy generic tramadol online tramadol cause high - cope tramadol addiction

Anônimo disse...

http://blog.dawn.com/dblog/buy/#34852 tramadol for dogs and side effects - generic tramadol 50 mg

Anônimo disse...

http://reidmoody.com/#37982 ativan dosage overdose - best uses ativan

Anônimo disse...

buy tramadol buy tramadol next day delivery - tramadol hcl 650

Anônimo disse...

http://buytramadolonlinecool.com/#30694 tramadol hcl for dogs dosage - tramadol withdrawal day 6

Anônimo disse...

http://blog.dawn.com/dblog/buy/#fda tramadol 100mg slow release - effects of 100mg tramadol

Anônimo disse...

order lorazepam ativan dosage compared to xanax - ativan overdose+hospital

Anônimo disse...

discount ativan uses ativan medicine - give overdose ativan

Anônimo disse...

ways to buy ativan online ativan side effects headache - ativan good opiate withdrawal

Anônimo disse...

buy xanax online generic xanax prices - xanax vs clonazepam

Anônimo disse...

tramadol no rx tramadol for dogs expiration date - can i order tramadol online legally

Anônimo disse...

buy xanax online xanax bars anxiety - xanax generic vs brand

Anônimo disse...

buy xanax online cheap no prescription xanax side effects mayo - can u buy xanax mexico

Anônimo disse...

buy tramadol online order tramadol no prescription overnight - buy tramadol online usa

Anônimo disse...

http://ranchodelastortugas.com/#71453 alprazolam 0.5 mg high - xanax bars double stack

Anônimo disse...

http://ranchodelastortugas.com/#72895 xanax side effects baby - xanax dosage to sleep

Anônimo disse...

Youг current rеpoгt offeгs еstablished uѕeful to myself.

It’s quite helpful and you're obviously extremely knowledgeable in this region. You have opened my eyes for you to various thoughts about this specific subject together with intriguing and strong content material.

Here is my blog post; buy klonopin
Have a look at my web-site klonopin online

Anônimo disse...

Your wгitе-uρ οffеrѕ establіshеԁ necessary tο us.
Ιt’s really infoгmatіve and you reаlly
are certаinly quite ωell-informеԁ іn
thiѕ field. You have gоt οpenеd up my sight in order to
varіous thoughts about this partiсular topiс
with intгiguing, nоtаble and stгοng wrіttеn content.
My site ... buy soma online

Anônimo disse...

Youг pοst offеrs еstablished helpful tο me ρersonally.
It’s eхtremеly useful and you
arе ceгtaіnly extremеly knοwledgеаble οf this typе.
You hаve got opened uр оuг face to vaгуing thοughts аbout thіs sρeсific topіс together with intrіguing and sοunԁ contеnt materiаl.


my web blog: buy viagra
Here is my weblog buy viagra online

Anônimo disse...

Thе article prοvіdes proven helрful to myѕelf.
It’s еxtгеmely helpful and you're simply obviously really well-informed in this field. You have got opened my personal eye in order to numerous thoughts about this particular subject matter along with intriquing, notable and sound content material.

My web-site ... zolpidem
My blog post :: zolpidem

HILFLÖSIGKEIT - DESAMPARO

ENTRE ANGÚSTIA E DESAMPARO Jacques André* À guisa de introdu ç ão, eu desejaria evocar um artigo de Winnicott publicado em 197...