domingo, setembro 21, 2008

Cinema dos anos 90



Comprei e li neste final de semana, “Cinema dos anos 90”, organizado por Denílson Lopes. O livro, segundo o seu título, é uma coletânea de ensaios sobre os filmes laçados na década de 90 em diversas “capitais” do cinema.

Partindo da diversidade da produção cinematográfica desse período, e de diferentes abordagens críticas, a leitura dos textos nos promove momentos de prazerosa reflexão. Alguns deles são memoráveis. Como, por exemplo, o ensaio de Wlademir Safatle sobre A estrada perdida, de David Lynch; e o ensaio de Denílson Lopes sobre A fraternidade é vermelha, de Krzystdf Kieslowski.

Outros textos, no entanto, poderiam entrar na lista dos “bonitinhos, mas ordinários”. Autores que tem pouco a dizer, que não tem tempo para reflexão, preenchem o espaço proposto com uma linguagem pretensiosa e vazia.

Mas, ainda assim, o livro "Cinema nos Anos 90", oferece aos seus leitores, na sua proposta ousada de falar do que é próximo, reflexões interessantes sobre 23 filmes que ainda estão impressos em nossa memória cinematográfica.

Maria Holthausen

segunda-feira, setembro 15, 2008

CLÁSSICO DE BERGMAN É EXIBIDO NO CINEMA FALADO


 
Ingmar Bergman é o motivo especial para uma boa conversa sobre cinema nesta quinta-feira, dia 18 de setembro de 2008, dentro do projeto Cinema Falado do Museu Victor Meirelles. Gritos e Sussurros, um dos mais belos filmes do diretor sueco, produzido em 1972, com Liv Ullmann à frente do elenco, promete um bom reencontro do público com Bergman na telona.
A mediadora convidada é Rosana Kamita, graduada em Letras pela Universidade Estadual de Londrina, mestre em Letras pela mesma instituição e doutora em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina. Atualmente é professora titular da UFSC nas disciplinas de Dramaturgia, Teoria da Narrativa e Teoria do Roteiro. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Cinema.


No final do século XIX a vida de quatro mulheres se entrelaça quando uma delas está à beira da morte. Em uma casa no campo, bastante enferma, ela recebe cuidados de suas duas irmãs e de uma empregada da família, que precocemente perdeu sua filha e por isso direciona o seu amor de mãe para aquela moça tão debilitada. Dentro deste contexto lembranças, frustrações e imaginações em um misto de amor e ódio surgem no interior de cada uma daquelas mulheres.

Frio, algumas vezes lento, mas sempre emocionalmente doloroso, Gritos e Sussurros é um filme obrigatório para os amantes do cinema clássico. E Bergman é extraordinariamente perspicaz em seu modo de mostrar os conflitos e as rivalidades, o amor e o desprezo. Há vários momentos no filme, durante os quais nada é falado, mas o silêncio é mais eloqüente do que qualquer palavra que pudesse ser dita, afinal é Bergman.

Por fim, como nos diz o próprio diretor através da doente Agnes, viver vale a pena mesmo que se consiga viver de verdade pouco mais que um instante num jardim, num balanço, numa tarde de sol.

Entre as premiações de Gritos e Sussurros destaca-se o Oscar de Melhor Fotografia, além de outras quatro indicações nas categorias: Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Roteiro Original e Melhor Figurino. Recebeu também uma indicação ao Globo de Ouro, na categoria de Melhor Filme Estrangeiro e duas indicações ao BAFTA, nas categorias de Melhor Atriz (Ingrid Thulin) e Melhor Fotografia. No Festival de Cannes venceu ainda o Grande Prêmio Técnico (Ingmar Bergman) e do Instituto de Cinema Sueco ganhou os prêmios de Melhor Filme e de Melhor Atriz (Harriet Andersson).

A sessão começa às 18h30min, na Sala Multiuso do Museu Victor Meirelles, na Rua Victor Meirelles, 59, Centro, Florianópolis.
A entrada é gratuita.

terça-feira, setembro 02, 2008

O deslocamento significante e seus efeitos.





Se o que Freud descobriu, e redescobre com um gume cada vez mais afiado, tem algum sentido, é que o deslocamento do significante determina os sujeitos em seus atos, seu destino, suas recusas, suas cegueiras, seu sucesso e sua sorte; não obstante seus dons inatos e sua posição social, sem levar em conta o caráter ou o sexo, e que por bem ou por mal seguirá o rumo do significante, como armas e bagagens, tudo aquilo que é da ordem do dado psicológico.



Jacques Lacan – O seminário sobre “A carta roubada”, Escritos

HILFLÖSIGKEIT - DESAMPARO

ENTRE ANGÚSTIA E DESAMPARO Jacques André* À guisa de introdu ç ão, eu desejaria evocar um artigo de Winnicott publicado em 197...